OPERAÇÃO BARÃO : Polícia Civil desarticula quadrilha de roubo de veículos e lavagem de dinheiro no estado

Geral Polícia

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Repressão ao Roubo de Veículos do DEIC – DRV, coordenada pelos Delegados Adriano Nonnenmacher e Joel Wagner, após investigação que durou onze meses, deflagrou na manhã desta terça-feira, 26/06, a Operação B@RÃO, visando desarticular complexa organização criminosa com sede em Porto Alegre e Região Metropolitana.

Paralelamente, a Divisão de Inteligência Policial e Análise Criminal (DIPAC), do DEIC, coordenada pelo Del. Gustavo Bermudes Menegazzo da Rocha, responsável pela instalação da Delegacia de Polícia de Repressão ao Crime de Lavagem de Dinheiro (DRLD), atuou, na mesma ação, com o intuito de atacar o braço financeira do referido grupo criminoso, sequestrando bens móveis e imóveis adquiridos com valores provenientes dos crimes antecedentes.

A Operação contou com a participação de 370 Policiais Civis, dentre Delegados, Agentes, Divisão de Apoio Aéreo e Grupo Tático Especial – GTE – DEIC, em cumprimento a 34 mandados de prisões preventivas e temporárias, 52 mandados de busca, 72 medidas constritivas de sequestro/indisponibilidade de bens, totalizando 158 Ordens Judiciais.

Foram cumpridos mandados nas Cidades de Porto Alegre, Canoas, Viamão, Alvorada, Gravataí, Guaíba, Arroio dos Ratos, São Jerônimo e Taquara.

A sofisticada e complexa organização criminosa, com grande poderio econômico, composta em sua maioria de indivíduos de classe alta, funcionava como uma verdadeira empresa, com hierarquia e divisão de tarefas, bem como funções e competências pré-definidas.

Estão sendo investigados alguns Centros de Desmanches Veiculares – CDVs – no esquema de receptação de peças e lavagem de dinheiro, bem como Centros de Registros de Veículos Automotores, CRVAs, com servidores suspeitos de corrupção.

A apuração, iniciada em julho do ano passado, usando de técnicas modernas de investigação e ferramentas da lei do crime organizado, constatou que a quadrilha, composta de 61 membros identificados até o momento, em uma primeira faceta criminosa, roubava, através da célula armada (assaltantes) veículos médios e de luxo na capital.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.