Mais de 380 municípios gaúchos paralisam hoje os serviços

Geral

Dos 497 municípios gaúchos, 384 estão paralisando as atividades, na manhã desta sexta-feira, em função da greve dos caminhoneiros. Segundo Saulo Dias, presidente da Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) e prefeito de Rio dos Índios, as cidades decretaram ponto facultativo. Nem as ambulâncias possuem combustível.

Dias salienta que em Rio dos Índios não há como transportar pacientes com risco de morte, por falta de combustível. A situação de calamidade visa direcionar os recursos disponíveis para os serviços indispensáveis, como da área da saúde. O presidente da entidade destaca também que muitos supermercados estão ficando sem alimentos e há pouca ração para os animais.

Existem duas minutas elaboradas pela Famurs, uma delas diz respeito ao ponto facultativo e a outra sobre a situação de calamidade pública. Cada município deve se adequar em uma das particularidades.

Segundo o presidente da Famurs, além da dificuldade enfrentada pela falta de combustível, os municípios temem ser ainda mais afetados com a possível redução ou suspensão da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) sobre o diesel. Para Dias, todos os municípios do país serão atingidos caso isso ocorra. “Não somos contra tirar a Cide, mas vai atingir os municípios mais uma vez, que vão ficar penalizados, já que 5% eram repassados aos municípios… era um valor importante que utilizávamos para tapar buracos, fazer manutenção de rodovias e estradas vicinais e para compra de combustíveis”, disse.

 

Rádio Guaíba Am/Fm

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.