Lula lamenta “percalços em Passo Fundo” e projeta “ganhar no primeiro turno”

Geral

Depois de mais de três horas de atraso, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva falou para mais de 5 mil pessoas, na noite dessa sexta-feira, no Largo Rui Porto, em São Leopoldo. Combativo, ele lamentou os “percalços” que impediram a passagem da caravana pela cidade de Passo Fundo e projetou: “Se eu for candidato, nós vamos ganhar no primeiro turno. Pois esse país não pode mais esperar. Não pode mais sofrer”.

Acompanhado da ex-presidente Dilma Rousseff, de Miguel Rosetto, pré-candidato ao governo do estado do Rio Grande do Sul, além de lideranças estaduais e do Vale do Sinos, Lula relatou que não escolheu os locais da caravana por facilidade, e que conhecia a situação política: “Sabia que o Estado estava tomado por um conservadorismo muito grande. As pessoas pensam que eu não leio, mas sou um cidadão bem informado. Eu tinha bastante conhecimento, sabia dos resultados eleitorais e vinha acompanhando discursos e comentários”, frisou.

O ex-presidente lastimou o bloqueio em Passo Fundo, que impediu a visita dele à cidade. “Eu estava até preparando para cantar uma música do Teixeirinha. É linda e eu queria cantar para o povo. E os ignorantes queimaram pneu na rua, usaram paus e pedras para não deixar. Esperamos um pouco e tivemos que vir embora”, explicou.

Apesar disso, Lula afirmou que é totalmente contra um revide. “Eu estou dizendo isso, mas é para não ficarem com ódio. Não podemos fazer o jogo do desespero que eles estão fazendo”, disse. “Não pode usar as mesmas armas. Não tem nada de fácil, mas não seremos ignorantes como eles”, reforçou o ex-presidente. “Nós vamos ensinar para eles, que são apenas cabos eleitorais de um candidato.”

“Moro não dorme com a consciência tranquila”

Sobre o processo de Lava Jato, Lula voltou a enfatizar inocência e criticar o Judiciário. “Única coisa que eu posso oferecer é a tranquilidade da minha inocência. Eu não sei se o (juiz federal de Curitiba, Sérgio) Moro dorme com a consciência tranquila, não sei se os juízes aqui do TRF4 dormem com a consciência tranquila”, citou. “Eu quero dizer que, sobre essa avacalhação com a minha vida, inclusive a antecipação da morte da Marisa, eles sabem que eu não vou me calar. E, por isso, estou lutando para voltar a ser presidente da República”, destacou. “Eu não vou ser preso, pois não cometi nenhum crime. E tenho certeza que nesse país haverá justiça.”

Protestos na BR 116

Antes da chegada de Lula, um grupo de cerca de 80 pessoas realizou protesto contra ele, na entrada de São Leopoldo, pela BR 116. Pedindo a prisão do ex-presidente, os manifestantes usaram um carro de som e levaram faixas e bandeiras do Brasil. O trânsito não chegou a ser bloqueado na BR 116, mas foi registrado congestionamento de pelo menos cinco quilômetros, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal, que acompanhou a ação, entre 17h e 19h.

O tráfego também foi afetado dentro do município de São Leopoldo, nas imediações do Largo Rui Porto. Devido à montagem do palco, bloqueios de vias de acesso a região, como a Av. Mauá e Dom João Becker, ja se iniciaram às 13h.

Correio do Povo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.