Com união de federações de PT e PSol, chapa com Edegar, Ruas e Olívio é confirmada no RS

Destaques Geral Política

A federação encabeçada pelo PT, que inclui o PCdoB e o PV, confirmou na manhã deste domingo seus candidatos para as eleições majoritárias, contando com a inédita união do PSol no RS. O deputado estadual Edegar Pretto encabeça a chapa na disputa ao Piratini, que tem o ex-governador Olívio Dutra como postulante ao Senado, em um mandato que promete ser coletivo. Além disso, junto com a federação PSol-Rede, foram oficializados os nomes de Pedro Ruas a vice e Roberto Robaina como primeiro suplente ao senado.

A segunda suplência segue em aberto, havendo, no entanto, a definição que caberá a uma mulher negra. O pedido teria sido do próprio Olívio, acatado na convenção, realizada no auditório de um hotel no centro de Porto Alegre. O presidente estadual do PT, Paulo Pimenta, afirma que a escolha do nome depende de conversas com os cinco partidos das duas federações. No entanto, a vaga deve ficar com o PCdoB.

“Tenho certeza que os companheiros do PCdoB têm mulheres negras e qualificadas que estarão conosco”, disse Olívio, destacando que, se eleito, o mandato no Senado não será seu, mas colaborativo e coletivo. Questionado como vai funcionar esse mandato, o candidato disse que o formato ainda está sendo discutido e definido em conjunto com as siglas. Olívio defendeu a democracia e o respeito às instituições, como o Poder Judiciário, o desenvolvimento do agronegócio com responsabilidade, mas sem concentração de propriedades na mão de poucos produtores.

Edegar Pretto assinou a Carta de Palavra e Compromisso com os Gaúchos e Gaúchas, documento que elenca medidas de um eventual governo. Como compromisso número um, a carta traz o combate à fome, com financiamentos para agricultura solidária e investimento na infraestrutura para o escoamento da produção. “Por onde tenho passado, por mais difícil que seja, as pessoas não querem esmola, querem oportunidade”, disse Edegar.

O texto fala ainda no fortalecimento do SUS, na área da saúde, em valorização da categoria e reformas em escolas, na educação, além da manutenção da Corsan e do Banrisul públicos. “A palavra para nós é muito mais que um contrato ou documento. É palavra de gaúcho!”, disse o candidato ao firmar o documento.

Correio do Povo

Foto: Mauro Schaefer

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.