Prefeito de Tramandaí vistoria Estação de Tratamento de esgoto e busca reunião com a direção da CORSAN para acelerar as obras

Uma das grandes preocupações da Administração Municipal é o esgoto cloacal de Tramandaí. O município cresceu muito nos últimos anos e as redes que ligam as residências e encaminham o material para tratamento não evoluíram com a mesma velocidade, gerando um déficit no saneamento básico.
A rede de esgoto cloacal é de responsabilidade da CORSAN, que iniciou em 2018 a construção da ETE. A sua conclusão estava prevista para o primeiro semestre de 2021, mas as obras estão praticamente paradas.
Visando acelerar o processo de construção da Estação de Tratamento de Esgoto, o Prefeito Luiz Carlos Gauto e a equipe da Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento (Agesan-RS) realizam nesta segunda-feira (24/05), uma vistoria técnica a ETE, onde foram recebidos pela Gestora da US Tramandaí (Corsan) Mariana Bockmann e pelo Engenheiro Renato Waichel.
“Necessitamos que haja uma definição em conjunto dessa situação. Não podemos apenas colocar as redes de esgoto cloacal sem que seja feita a ligação com a Estação de Tratamento, que precisa ser concluída. Nosso próximo passo agora será uma reunião com a direção da CORSAN em Porto Alegre, pois precisamos cuidar da saúde da nossa população e também do nosso meio ambiente”, explicou o Prefeito Luiz Carlos Gauto.
O engenheiro da CORSAN, Renato Waichel, salientou a importância da retomada das obras, uma vez que sua conclusão depende de uma série de fatores: “Acreditamos que caso as obras sejam retomadas em ritmo acelerado nos próximos meses poderemos entregar a estrutura física em meados de maio de 2022. Após, são necessários uma séries de testes para que a mesma possa começar a operar em sua plenitude, possivelmente no início do ano de 2023”, concluiu o Engenheiro.
Os profissionais da Agesan-RS percorreram toda a obra que por questões técnicas e financeiras não foi finalizada dentro do prazo e projetam agora a retomada da mesma: “Segundo o cronograma estabelecido pela pela Companhia Riograndense de Saneamento a obra da ETE já deveria estar finalizada desde o mês passado. Vamos agora avaliar eventuais problemas para a conclusão da Estação de Tratamento, procurando agilizar o trabalho, pois a cidade encontra-se com diversas ruas em obras para a colocação de redes de esgotamento sanitário”, explicou o Diretor da Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento, Demétrios Gonzales.
Também participaram do encontro por parte da Agesan-RS o Diretor de regulação Tiago Gomes e os assessores fiscais Daniel Santos e Wagner Mâncio.
Nos próximos dias será definida a data da reunião na sede da CORSAN em Porto Alegre.
Alanna Hanna / Nicole Longaray

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com