Morador de Campo Bom é o primeiro caso confirmado de coronavírus no Estado

O governo do Estado confirmou, na manhã desta terça-feira (10/3), em coletiva de imprensa no Palácio Piratini, o primeiro caso de infecção pelo novo coronavírus no Rio Grande do Sul. O homem, de 60 anos, morador de Campo Bom, esteve em Milão, na Itália, entre 16 e 23 de fevereiro. Ele está em isolamento domiciliar e nenhum dos familiares apresentou sintomas. Todos serão acompanhados até a melhora do quadro de saúde.

“Sabíamos que esse dia poderia chegar. Não é o caso de alarmarmos a população, mas é importante frisarmos a importância dos hábitos de higiene, como lavar as mãos, evitar o chimarrão compartilhado e aderir a uma etiqueta respiratória ao tossir para não expor terceiros ao contágio. Sabemos que isso gera tensão, mas fiquem tranquilos. Estamos atuando e vamos continuar a monitorar os casos e a tomar todas as providências para que possamos atender as pessoas”, ressaltou o governador Eduardo Leite.

Até esta terça-feira (10/3), 190 casos suspeitos haviam sido notificados no Estado. Além desse primeiro caso positivo, outros 103 casos já foram descartados e 86 estão sendo investigados.

A identificação do novo coronavírus (SARS-Cov-2), causador da doença que levou o nome de COVID-19, foi feita em exame no Laboratório Central do Rio Grande do Sul (Lacen/RS) que, desde a última sexta-feira (6/3), realiza esse diagnóstico específico. De sexta-feira até terça, o Lacen recebeu 122 amostras e já analisou 107. “É uma resposta muito concreta de que o governo do Estado está fazendo a lição de casa”, avalia a secretária da Saúde, Arita Bergmann.

A Secretaria de Saúde (SES) instalou, no dia 28 de janeiro, o Centro de Operações de Emergência (COE) para monitorar a propagação e preparar a rede pública para uma possível chegada do vírus. Por enquanto, há cinco hospitais de retaguarda preparados para receber pacientes – o Hospital de Clínicas de Porto Alegre, o Complexo Hospitalar Conceição, o Hospital Universitário de Canoas, o Hospital Municipal de Novo Hamburgo e o Hospital São Vicente de Paulo, de Passo Fundo. A partir da confirmação de casos, o número de hospitais pode aumentar. A orientação da SES é de que, ao constatar sintomas, a pessoa se dirija à unidade de saúde mais próxima.

Para reforçar as medidas de prevenção, o Ministério da Saúde antecipou a vacina contra a gripe para 23 de março. O público-alvo inicial é composto de idosos, faixa etária que está mais propensa a quadros graves da doença, e profissionais da saúde.

Sobre o primeiro caso de coronavírus no Estado

– Homem, 60 anos, residente em Campo Bom
– Histórico de viagem para Milão (Itália)* entre 16 e 23 de fevereiro
– Início de sintomas de febre e tosse em 29 de fevereiro
– Atendido em clínica privada de Novo Hamburgo em 1º de março
– Avaliação médica com o quadro de sintomas leves
– Orientado a ficar em isolamento domiciliar até a melhora dos sintomas, sendo monitorado pela vigilância epidemiológica do município
– Notificado ao Estado como suspeito em 2 de março
– Chegada das amostras de secreções das vias respiratórias ao Lacen/RS em 2 de março
– Realizados primeiros exames para painel de sete vírus respiratórios mais comuns no país (influenza A e B, parainfluenza, adenovírus e vírus sincicial respiratório) em 3 e 4 de março, todos com resultado negativo
– Análise específica para o novo coronavírus (SARS-Cov-2) em 9/3 com resultado positivo por meio de análise da carga genética do vírus
– Atual quadro de saúde do paciente é leve, persistindo a tosse
– Nenhum familiar residente no mesmo endereço apresenta sintomas, mas eles seguem sendo monitorados até completar 14 dias do início dos sintomas do caso positivo (até a próxima segunda-feira, 16 de março)
– Como já se passaram mais de 14 dias dos voos de regresso (período estimado de incubação da doença), não se preconiza a verificação da lista de passageiros para a busca ativa a outros suspeitos

* em 16/2, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a Itália tinha três casos confirmados. Passando a 76 em 23/2. Até 9 de março esse número já tinha ido a mais de 7,3 mil casos no país, com maior concentração na região da Lombardia, cuja capital é Milão.

Ações no RS

A preparação do Estado para o enfrentamento da doença começou no início de janeiro com acompanhamento das informações de casos por esse novo tipo de vírus na China. Em 28 de fevereiro, a SES instituiu o Centro de Operações de Emergências (COE) para investigar, manejar e notificar casos potencialmente suspeitos da infecção.

Na página da SES estão disponíveis as informações para a população em geral e profissionais de saúde.

O que é a COVID-19?

É uma doença causada pelo novo tipo de coronavírus identificado neste ano, que leva o nome de SARS-CoV-2. Ele pertence à família de vírus de mesmo nome que causa infecções respiratórias. O vírus tem esse nome porque seu formato, quando observado em microscópio, se assemelha a uma coroa.

Definição de suspeito de doença pelo coronavírus 

  • Situação 1 – VIAJANTE:

Pessoa que apresente febre e pelo menos um dos sinais ou sintomas respiratórios (tosse, dificuldade para respirar, escarro, congestão nasal, entre outros) e histórico de viagem para país com transmissão sustentada ou área com transmissão local nos últimos 14 dias;

  • Situação 2 – CONTATO PRÓXIMO:

Pessoa que apresente febre ou pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, escarro, congestão nasal, entre outros) e histórico de contato com caso suspeito ou confirmado para COVID-19, nos últimos 14 dias;

  • Situação 3 – CONTATO DOMICILIAR:

Pessoa que manteve contato domiciliar com caso confirmado por COVID-19 nos últimos 14 dias e que apresente febre ou pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, escarro, congestão nasal, entre outros).

Texto: Suzy Scarton e Rovani Freitas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com