Após atrasos, entrega de resultados de exames do colo do útero é normalizada em Imbé

A entrega dos resultados dos exames citopatológicos que detectam o câncer do colo do útero, passou a sofrer atrasos a partir do segundo semestre de 2018 em Imbé, assim como em outras cidades gaúchas. A origem do problema foi o atraso no pagamento do laboratório contratado pelo Governo do Estado para análise das amostras. No final do ano passado, após uma série de reclamações em todas as cidades que disponibilizavam o exame preventivo nas unidades de saúde, a 18ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS), com sede em Osório, informou que um chamamento público definiria a contratação de um novo laboratório para execução dos serviços.

Em maio deste ano a nova empresa assumiu a análise das amostras. O atraso ocasionado pela demora na transição da prestação de serviço entre os laboratórios, porém, gerou uma grande demanda e, consequentemente, um acúmulo de resultados do exame na Secretaria Municipal da Saúde. Atualmente, segundo a coordenadora da Vigilância Epidemiológica do município, enfermeira Caroline Pimenta, são quase 600 exames com resultados prontos e aguardando retirada nas unidades de saúde que realizam o procedimento. “Muitas mulheres que fizeram a coleta não receberam o resultado de forma rápida por conta da indefinição quanto ao laboratório que prestaria este serviço, que é uma responsabilidade do Estado. Elas estão sendo contatadas para que busquem o resultado o quanto antes”, esclarece Pimenta. Quem fez o exame há mais de dois meses e ainda não recebeu o retorno quanto à disponibilidade do resultado deve procurar a unidade onde foi feita a coleta para retirá-lo.

Conforme o secretário adjunto da SMS, enfermeiro Paulo Roberto Cardoso Batista, o município conta com três unidades para realização do exame Papanicolau, como é popularmente conhecido o teste: Academia da Saúde (Centro), UBS Mariluz e ESF Nova Nordeste. “Nós orientamos as unidades no sentido de contatar por telefone as pacientes quando o resultado fica pronto. Agora que a situação está normalizando nós pedimos que as mulheres se conscientizem, façam o exame e acompanhem a disponibilidade do resultado”, explica Paulo Roberto.

O papanicolau é capaz de identificar alterações promovidas pelo vírus HPV que, ao longo dos anos, pode gerar mutações celulares e se transformar em câncer do colo do útero. Além disso, o exame pode identificar algumas infecções sexualmente transmissíveis (ISTS), candidíase e outros fungos na área genital feminina. A Vigilância Epidemilógica explica que o exame é recomendado para mulheres a partir do momento em que se tornarem sexualmente ativas. “O preventivo deve ser feito uma vez ao ano por dois anos seguidos. Se o resultado não apresentar nenhum tipo de alteração, as próximas coletas deverão ser feitas a cada três anos”, explica a coordenadora do setor. “Em pacientes que já tiveram HPV ou outras alterações causadas pelo vírus a periodicidade é anual”, lembra.

A SMS estima que a paciente receba o resultado num prazo de até 45 dias a partir da coleta, tempo que pode ser menor dependendo da unidade e do volume de exames encaminhados.

Para realizar o exame preventivo do câncer do colo do útero é preciso procurar uma das unidades abaixo, apresentando documento de identidade e cartão SUS do município:

– Academia da Saúde (Praça da Emancipação – Rua Sapiranga, esquina Rua Lagoa Vermelha, Centro): coletas às quartas, das 8h às 12h e das 13h30 às 16h30, conforme agendamento prévio;

– UBS Mariluz (Avenida Paraguassú, esquina com a Rua Canoas – Balneário Mariluz): coletas às segundas, às 13h30, e às quartas, às 8h, conforme agendamento prévio;

– ESF Nova Nordeste (Rua Maria Clara Machado, n° 175 – Nova Nordeste): coleta às quintas, manhã e tarde, conforme agendamento prévio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *